Sou eu quem boia fora.
Sou eu o homem brando;
manco que se debate.

Mostro-me pra te ver
pagar caro e exibir
os meus dentes na praça.

Prometo ser ornado
na lista dos marcantes,
longe da corte, fácil.

Receba-me, Cassandra,
ou vai ter que me ouvir
sem ar, grunhindo “ajuda”.

Anúncios