O despertar do último
comum, bailado cômico
visto de cima ou dentre
as nuvens que alimentam
clássicos, não será
caso de empolgação.

No lugar, crus bocejos.
O afã tombado em solo
duro de pedranceira.
Soltos, mil carrapatos
cravando dermes; novas
peles em nanorrasgos.

Você, cartola oblíquo,
encantador de ceifas,
teu dedo nessa história.
Eu, mucujê nevado,
não desminto meus olhos
crassos, secos de aurora.

Anúncios